M. A. C. F.

Nasci no inverno de 1980, em Porto Alegre. Minha mãe foi assassinada em 1989 por meu próprio pai, num dos momentos de embriaguez dele. Depois de permanecer preso durante um mês, meu pai retornou para casa, para cuidar de seus dois filhos mais novos – meu irmão de 10 anos e eu com 9 anos. Comecei a trabalhar aos 10 anos de idade na venda de picolé. Aos 12 anos, comecei minhas experiências com drogas, cheirando solventes. Aos 14 anos, meu pai faleceu de cirrose, consequência de seu alcoolismo. Mais tarde, fiquei internado 4 meses num internato judicial para adolescentes por praticar pequenos furtos. Quando conheci minha atual esposa, encontrei alguém que sempre tem me apoiado, apesar da minha drogadição e falhas de caráter. Quando ela engravidou, achei que eu iria finalmente parar com as drogas, mas as coisas pioraram. Na primeira vez que ela marcou uma entrevista para internação no CERENE, eu não fui, pois recebi uma promoção no emprego. Eu continuava achando que conseguiria parar sozinho com a maconha e a cocaína. Um ano depois, perdi o emprego por causa das drogas. Depois disso, conheci o crack e logo me afundei. Cheguei a entregar meu carro e eletrodomésticos para os traficantes. Nesse momento, aceitei a ideia de me internar no CERENE de Palhoça. No início, eu pensava que bastava fazer uma desintoxicação rápida. Mas, ao escutar a mensagem bíblica no CERENE, entendi que eu precisava preencher meu vazio existencial através de um relacionamento pessoal com Deus. Cada dia que eu escutava a Palavra de Deus, eu ficava mais feliz e sentia que as feridas da alma estavam sendo curadas. Ao abrirmos nossa mente e nosso coração para Deus, o tratamento se torna fácil. Para mim foi muito importante completar os seis meses de tratamento. Tenho o maior prazer de indicar o CERENE de Palhoça para outras pessoas que queiram se libertar das drogas. A unidade está inserida numa paisagem natural de grande beleza; o trabalho terapêutico é variado; tem sempre algo para se aprender e se fazer; aprende-se muito com a história de vida uns dos outros. Vale a pena experimentar o que o CERENE tem a oferecer!

Compartilhe:
Filiado a Cruz Azul

ONG Transparente