G. T.

Givanildo Trindade, 35 anos, nasceu em Missal –PR, casado , tem 1 filho de 11 anos, atualmente reside em Jaraguá do Sul, e durante a semana trabalha no CERENE de Blumenau.
Givanildo tem origem humilde e até os seus 15 anos de idade morou no interior do Paraná. Veio para Jaraguá do Sul e seu primeiro emprego foi de atendente de farmácia. Aos 17 anos, solteiro ainda, iniciou o uso de substâncias psicoativas, mas já namorava a sua futura esposa. No início, o uso da droga era esporádico e pensava ele que estava controlado .
Após 3 anos e meio de namoro, casou com a idade de 20 anos. Aos 23 anos, mais precisamente no ano de 1999, pediu ajuda ao seu sogro, que o trouxe ao CERENE para uma entrevista, mas não aceitou internar naquele momento.
Fez o uso de drogas até os 29 anos e o seu relacionamento familiar já havia se rompido, em consequência do uso.
Na data de 04/05/2006, quando o CERENE comemorava os seus 17 anos de fundação, Givanildo Trindade se internou no CERENE. Nos primeiros passos havia dificuldades para aderir ao tratamento, dificuldades em lidar com as perdas da família, do carro, do emprego e da confiança das pessoas. Estava totalmente desacreditado. Aí veio a pergunta para si. “COMO LIDAR COM ISSO ?” GIVANILDO DIZ: “NOS PRIMEIROS 30 DIAS EU DESCOBRI QUE AMAVA A MINHA FAMÍLIA. DESCOBRI A IMPORTÂNCIA QUE A FAMÍLIA TINHA PARA MIM. ISSO FOI O COMBUSTÍVEL PARA SEGUIR O TRATAMENTO.”
A falta da família, as incertezas, sem perspectivas e muitas dúvidas estavam presentes no dia-a-dia. Mas teve um dia que isso tudo mudou. Aos 55 dias de tratamento, Givanildo teve um encontro real e salvador com o Senhor Jesus. A partir daquele dia as coisas mudaram, assim como a transformação da água em vinho. As dificuldades continuaram, mas a ele teve esperança para uma vida nova. Ele tomou uma decisão em mudar a sua vida, a partir daquilo que Deus havia lhe mostrado.
Após concluir o tratamento de 6 meses no CERENE, Givanildo trabalhou 3 meses como Monitor voluntário em outra Comunidade Terapêutica no Rio Grande do Sul, fez o Curso Bíblico Básico de 1 ano em São Bento do Sul, na Faculdade Luterana de Teologia e retornou ao CERENE para mais um voluntariado de 1 ano e 2 meses, por meio período, e no período da tarde e noite trabalhava de atendente de farmácia.
Nesses 2 anos após se internar no CERENE, Givanildo ficou totalmente separado de sua família, só existia conversas. A aproximação foi acontecendo aos poucos e no ano de 2008, houve perdão por parte de sua esposa e ele pôde retornar para casa.
Em 2009, foi convidado para trabalhar no CERENE como Monitor de Pátio, passou a Coordenador de pátio, depois como entrevistador e atualmente como Teraputa/Conselheiro.
Hoje ele já está cursando a faculdade de Serviço Social.
04/05/2013 fez 7 ANOS que Givanildo está liberto das drogas.

Compartilhe:
Filiado a Cruz Azul

ONG Transparente