COMO POSSO SABER SE MEU FILHO USA DROGAS

Esta é uma das perguntas que os pais mais freqüentemente fazem. O usuário de drogas, na grande maioria das vezes, procura esconder seu hábito por mais claras que sejam as evidências. Fará muitas promessas para parar e sempre negará que é um dependente químico. Pais que conhecem bem os seus filhos, logo observarão modificações no comportamento destes, por motivo de ultrapassarem um padrão esperado de qualquer outro adolescente. Para confirmar o uso de drogas seguem algumas dicas: Seu filho

> Passa a maior parte do tempo fora de casa?

> Vem apresentando seguidamente problemas na escola ou na rua?

> Briga com a maioria ou com todos na família?

> Troca o dia pela noite?

> Falta às aulas sem motivos justificáveis?

> Foge, mente e tem amizades problemáticas?.

> Some com objetos de valor da família?

> Apresenta olhos vermelhos e irritados?

> Modificou exageradamente os hábitos alimentares?

> Sua roupa apresenta cheiros desconhecidos?

> Porta papéis, cachimbos, colírios, roupas ou posters que promovam o uso de drogas?

Estes são alguns sinais que merecem atenção. O importante nessa hora é buscar diálogo franco, evitar qualquer tipo de agressão, cuidando para mostrar acolhimento e, por outro lado, total rejeição à droga. Ao mesmo tempo, buscar orientação com pessoas de confiança, ou com quem lida com a dependência química como grupos de mútua ajuda, profissionais da área da saúde e centros de tratamento de maior prazo. Buscando informações para si mesmos, os pais poderão melhor ajudar os seus filhos. Lembre-se: usar drogas é um sinal de que algo não está legal e buscar ajuda é o melhor jeito de se obter respostas às muitas perguntas que surgem.

Osvaldo Christen Filho

Psicólogo

CRP 12/03823

Referências:

GRYNBERG, H.; KALINA, E. Aos pais de adolescentes: Viver sem Drogas. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 1998.

LARANJEIRA R. (Coord.) et al. Usuários de Substâncias Psicoativas: Abordagem, Diagnóstico e Tratamento. 2.ed. São Paulo: Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo/Associação Médica Brasileira, 2003.

SÃO PAULO. Prefeitura. Guia Prático sobre Uso, Abuso e Dependência de Substâncias Psicotrópicas para Educadores e Profissionais da Saúde. São Paulo: [s.n.], 2006.

SENAD. Maconha: O que os pais devem saber. 2.ed. Brasília: Série Diálogo, n.4, 2001.

Compartilhe:
Filiado a Cruz Azul

ONG Transparente